.:: O Ótimo Colágeno ::.

O colágeno é uma substância bastante abundante no organismo humano e tem a função de manter as células unidas, sendo principal componente proteico de órgãos como a pele, cartilagens e ossos. A produção de colágeno é o resultado de uma complexa sequência de eventos bioquímicos no interior das células, e pelo fato de o colágeno ser produzido naturalmente pelo nosso organismo, sua baixa ou muito alta concentração pode ocasionar problemas.

Quando entramos na fase adulta (a partir de 30 anos), a deficiência do colágeno começa a ser notada. Nessa época fica mais visível a diminuição da elasticidade da pele, o dermatologiaaparecimento de rugas e o aumento da fragilidade das articulações e dos ossos. Por isso é importante repor esse nutriente, que pode ser adquirido em forma de cápsulas ou em pó, encontrados em farmácias de manipulação. Quanto à reposição de colágeno, especialistas divergem em suas opiniões: alguns acreditam que a reposição não resolve, enquanto outros acreditam que ela é perfeitamente válida, tese mais aceita nos dias de hoje. Mas não adianta repor colágeno e continuar com péssimos hábitos, como má exposição ao sol, fumo, sono inadequado e sedentarismo, porque sua função não é milagrosa.

A deficiência de colágeno, também chamada de colagenose, acarreta problemas como: má formação óssea, rigidez muscular, problemas com o crescimento, inflamação nas juntas musculares, doenças cutâneas e dentárias, entre outros. Na menopausa há menor produção de colágeno pelos fibroblastos, por isso uma das principais reclamações das mulheres nesta época são a queda de cabelos, fragilidade das unhas e acentuado aumento das rugas. Por ser um tipo de proteína, uma de suas principais funções é formar Queda de cabelofibras que dão sustentação à pele (para quem se exercita, contribui também na formação dos músculos). Extraído do osso e da cartilagem do boi, o colágeno passa pelo processo de hidrólise (quebra das moléculas de proteína) para ser mais facilmente absorvido pelo organismo, sendo chamado então de Colágeno Hidrolisado

Funções do Colágeno Hidrolisado

O colágeno hidrolisado contém os aminoácidos essenciais glicina e prolina em concentração 20 vezes maior do que outras proteínas. Ambos são componentes importantes do tecido conjuntivo e asseguram sua consistência e elasticidade. Ele também tem efeito regenerativo em ossos e articulações.

Benefícios do Colágeno Hidrolisado

  • Retarda o envelhecimento e previne rugas
  • Combate a flacidez da pele
  • Fortalece unhas e cabelos
  • Contribui para saúde dos ossos
  • Previne o aparecimento da celulite e estrias
  • Colabora no aumento da tonicidade dos músculos
  • Auxilia no funcionamento do sistema linfático

Aplicação Cosmética

O colágeno é uma proteína “mágica” para deixar a pele mais firme. Dermatologistas já provaram que, ao usar produtos de beleza que levam o composto em sua fórmula, a pele torna-se mais macia, firme e saudável. O colágeno também ajuda na manutenção do tônus muscular deixando a pele mais firme e menos flácida.

Indicação do Colágeno Hidrolisado

É indicado para pessoas acima de 30 anos. Como suplemento nutricional é indicado para pessoas fisicamente ativas que desejam aumentar o consumo de proteínas, assim como para o fortalecimento de unhas e cabelos. Também é indicado em processos de cicatrização e recuperação de lesões e em processos de emagrecimento.

Deficiência

A deficiência de colágeno está também associada à diminuição da espessura do fio capilar e com a desidratação e perda de elasticidade da pele, culminando em flacidez e no aparecimento de rugas e estrias. Além disso, prejudica as articulações e enfraquece os ossos.

Onde é Encontrado

O colágeno hidrolisado é reconhecido como um ingrediente alimentício pelo Ministério da Saúde e pelo FDA (órgão que regulamenta alimentos e bebidas nos EUA) e atualmente já é possível observar no mercado alguns alimentos enriquecidos com essa proteína. Você pode usar tanto o colágeno em cápsulas quanto em pó. É encontrado em pequenas quantidades nos alimentos que contém proteína como a carne e leite, e nas gelatinas.

Existem atualmente alguns suplementos com boas concentrações de colágeno, como balas, pó para shakes ou sucos, sachês com vitaminas e minerais, sendo estes todos esses exColágeno Puriscelentes opções para o consumo diário, inclusive com diversas opções de sabores e texturas.

Todas as informações dicas e sugestões contidas neste post têm caráter meramente informativo. Elas não substituem um aconselhamento e o acompanhamento de médicos,  nutricionistas e farmacêuticos.

Veja mais informações do Colágeno Hidrolisado Puris clicando aqui.

Referências:

  1. Envelhecimento da pele e colageno. Faria, Jose Carlos Marques de; Tuma Junior, Paulo; Costa, Marcio Paulino; Quagliano, Ana Paula; Ferreira, Marcus Castro.Rev. Hosp. Clin. Fac. Med. Univ. Säo Paulo;50(supl):39-43, 1995.
  2. Colágeno na cartilagem osteoartrótica. Velosa, Ana Paula P; Teodoro, Wlcyr R; Yoshinari, Natalino H. Rev. bras. reumatol;43(3):160-166, maio-jun. 2003. ilus.
  3. http://www.pharmaceutical.com.br/
Anúncios

Mel, Própolis e Aloe vera: alternativas naturais no tratamento da pele e cabelos!

Mel
O mel é utilizado como alimento  assim como matéria-prima terapêutica e cosmética há milênios. Um maravilhoso e rico fruto da natureza utilizado para nutrição, sempre foi apreciado por seu delicioso sabor, tornando-se muito reconhecido como ativo para cura e embelezamento no Egito antigo por Cleópatra, em suas misturas com leite, babosa e outros ingredientes naturais. Papiros cirúrgicos de Edwin Smith descreveram o tratamento efetuado por cirurgiões egípcios para feridas complicadas com uma combinação de mel e gordura (KNUTSON et al, 1981).

O mel tem como componentes principais a glicose, a frutose e a água (KNUTSON, 1981; RAHAL, 2003; CASTRO, 2004) e vem sendo utilizado assim como o açúcar no tratamento de feridas crônicas, infectadas e indolentes (LIPTAK, 1997). O mel é extremamente viscoso, higroscópico, inibe o crescimento de muitos microorganismos gram-positivos e gram-negativos, assim como fungos (CASTRO, 2004). As propriedades antibacterianas do mel foram associadas com a produção do peróxido de hidrogênio a partir da oxidação da glicose, baixo pH, hipertonacidade (alta concentração de ativos) e presença de inibina (LIPTAK, 1997; RAHAL, 2003; CASTRO, 2005; HEDLUND, 2007; PAVLETIC, 2010). Esta substância também é capaz de drenar e reter fluidos teciduais, facilitando o debridamento autolítico (HEDLUND, 2007; PAVLETIC, 2010).

Além disso, o mel também apresenta ação anti-inflamatória, ausência de efeitos adversos na cicatrização, redução do edema, quimiotaxia de macrófagos e a não aderência desses; assim, o mel desbrida as feridas rapidamente, substituindo as crostas por tecido de granulação, promove rápida epitelização, além de aliviar a dor, apresentar menor incidência de cicatriz hipertrófica e contratura, detendo baixo custo e sendo de fácil disponibilidade (RAHAL, 2003). O mel, além de promover a epitelização, também estimula a angiogênese, a granulação das feridas (CASTRO, 2004; HEDLUND, 2007), atuando como fonte nutritiva para as células e reduzindo os odores em geral (LIPTAK, 1997; HEDLUND, 2007).

Segundo RAHAL (2003), pode ocorrer variação na atividade antinbacteriana e na eficácia clínica dependendo da fonte da planta e do processamento sofrido pelo mel. O mel manuka, o mel floral e o mel lima têm sido assocaidos a uma melhor cicatrização do que o mel comercial e o mel de abelhas alimentadas com açúcar (LIPTAK, 1997). Segundo Schremi et al (2010), a redução do pH da ferida pelo uso do mel manuka pode levar a uma redução no tamanho desta. Por todas estas atividades e sua rica concentração de nutrientes, o mel revela-se como um excelente composto natural para hidratação, nutrição e recuperação da pele e dos cabelos.

Própolis
O própolis é constituido basicamente de resinas e bálsamo, cera de abelha, óleos voláteis e pólen coletados das plantas e modificado pelas abelhas operárias através de secreções próprias. Esta substância apresenta um bom efeito epitelizante e melhora a cicatrização pela redução da resposta inflamatória (RAHAL, 2003), sendo também utilizada como antimicrobiano, antioxidante, imunomodulador, hipotensor, cicatrizante, anestésico, anti-cancerígeno, anti-HIV e anti-cariogênico. Essas propriedades se encontram relacionadas com sua composição química, que apresenta, até o momento, cerca de 200 elementos já identificados, sendo os principais agrupados em: flavonóides, ácidos graxos, álcoois, aminoácidos, vitaminas e minerais (BARBOSA, 2009). Em estudo realizado por Segundo (2007), a utilização de tintura hidroalcoólica de própolis foi eficiente na aceleração da contração de feridas cutâneas induzidas em ratos.

A composição química da própolis varia de acordo com sua origem geográfica e com as diferenças genéticas das abelhas responsáveis por sua coleta. Estas variações acarretam mudanças em suas propriedades farmacológicas, que tendem a serem maiores em regiões tropicais devido à riqueza vegetal existente, e menores em regiões temperadas. A época da coleta é outro fator importante na determinação da composição química da própolis, pois em países como o Brasil esta ocorre o ano todo, gerando possíveis variações sazonais. Estes fatores acabam por interferir na eficácia terapêutica que é fornecida pela própolis (BARBOSA, 2009).

Aloe vera
O Aloe vera é uma planta da família das liliáceas, popularmente conhecida como “babosa”. A partir da extração de um gel mucilaginoso de sua folha, têm sido amplamente utilizado na área da saúde, indústria alimentícia e indústria de cosméticos (SEGUNDO, 2007). O Aloe vera possui atividade antibacteriana contra Pseudomonas aeruginosa, sendo muito utilizada no tratamente de queimaduras, e também inibe o crescimento de fungos. Estimula a replicação de fibroblastos e apresenta atividade anti-prostaglandina e anti-tromboxano (LIPTAK, 1997; HEDLUND, 2007; FAHIE & SHETTKO, 2007; PAVLETIC, 2010).

A alantoína e o acemannan (ou manose) são componentes do extrato de babosa, que podem ser utilizados pela via tópica (LIPTAK, 1997; FAHIE & SHETTKO, 2007). A alantoóma estimula a epitelização e o acemannan estimula os macrófagos a produzirem as citocinas IL-1 e TNF, os quais estimulam a angiogênese e a epitelização. O Aloe vera também apresenta propriedades anti-inflamatórias e analgésicas devido à presença de salicilatos; seu uso não é ideal durante a fase inflamatória da cicatrização (LIPTAK, 1997; SWAIN, 1997; HEDLUND, 2007; PAVLETIC, 2010).

A indústria cosmética vê o Aloe vera como base e fitocosmético para vários produtos de beleza, tais como cremes faciais e capilares, limpadores de pele (removedor de impurezas da pele), anti-rugas, fortalecedor do couro cabeludo e desodorantes. Ajuda a combater a caspa, previne contra as rugas hidratando peles ressecadas e flácidas e, aplicada como loção após a barba, é ótimo suavizante para a pele.

Referências
1) KNUTSON, RA; MERBITZ, LA; CREEKMORE, MA; SNIPES, HG. Use of sugar and povidone-iodine to enhance wound healing: five years experience. Southern Medical Journal, v 74, n 11, p 1329-1335, nov 1981.
2) RAHAL, SC; BRACARENSE, APFRL; TANAKA, CY; GRILLO, TP; LEITE, CAL. Utilização de própolis ou mel no tratamento de feridas limpas induzidas em ratos. Archives of Veterinary Science, v 8, n 1, p 61-67, 2003.
3) CASTRO, AU. Uso tópico do mel de abelha “apis mellifera”, da oxitetraciclina e da hidrocortisona, combinadas e isoladas, na reparação de feridas cutâneas, por segunda intenção, em coelhos. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, 2004.
4) LIPTAK, JM. An overview of the topical management of wounds. Australian Veterinary Journal, v 75, n 6, p 408-413, jun 1997.
5) HEDLUND, CS. Surgery of the integumentary system. In: FOSSUM, TW. Small animal surgery, 3 ed. Missouri: Mosby Elsevier, 2007. Cap 15, p 161-259.
6) PAVLETIC, MM. Atlas of small animal wound management and reconstructive surgery. 3 ed. Iowa:Wiley-Blackwell, 2010.
7) SCREMI, S; SZEIMIES, RM; KARRER, S; HEINLIN, J; LANDTHALER, M; BABILAS, P. The impact of the pH value of skin integrity and cutaneous wound healing. Journal of european academy of dermatology and venereology, v 24, n 4, p 373-378, April 2010.
8) SEGUNDO, AS et al. Influência do aloe vera e própolis na contração de feridas em dorso de ratos. Periodontia, v 7, n 1, p 23-28, mar 2007.
9) SWAIN, SF. Advances in wound healing in small animal practice: current status and lines of development. Veterinary Dermatology, v 8, n 4, p 249-257.

Nutricosméticos – beleza de dentro para fora!

Você já deve ter ouvido falar em ‘Pílulas da Beleza’ ou ‘Cosméticos Orais’ ou ‘Nutricosméticos’ e no mínimo ficou curioso para saber o que estes produtos que prometem melhorar a aparência da pele, cabelos e unhas e até mesmo retardar o envelhecimento têm de tão especial ao cuidar da beleza de dentro para fora. Eles são uma das mais novas tendências da cosmética mundial.

Com certeza a afirmação “Você é o que você come” nos faz refletir sobre a importância diária de uma dieta balanceada e rica em nutrientes, mas no corre-corre do dia a dia, às vezes consumimos quantidades insuficientes destes nutrientes, e em pouco tempo o resultado está na ‘cara’, literalmente percebemos a pele ressecada, cabelos sem brilho e unhas quebradiças. Partindo desse princípio, pesquisas foram desenvolvidas e comprovaram que doses de vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos graxos e proteínas visam repor possíveis deficiências causadoras de rugas, unhas fracas, queda de cabelo, flacidez, entre outros problemas estéticos.

Os Nutricosméticos são por tanto um complemento da rotina de beleza; uma verdadeira febre na Europa, Japão e Estados Unidos, esses suplementos são vendidos na forma de cápsulas, refrescos, iogurtes chocolates e gomas. Os estudos comprovam a ligação entre o consumo de produtos específicos à melhora da pele, e dentre eles podemos citar o mineral silício, que atenua as rugas e aumenta a resistência do cabelo e unhas. O chá verde e o cacau são grandes destaques pelas suas propriedades antioxidantes que auxiliam na diminuição de rugas, melhora da hidratação e circulação. As proteínas do leite e o licopeno atuam na proteção das células de colágeno devido sua ação antioxidante; o extrato de soja estimula a renovação celular e a vitamina C protege e restaura as fibras de colágeno, o que diminui a flacidez da pele.

Alguns dos principais ativos utilizados na terapêutica atual são:

  • Silício Orgânico (Exsynutriment): é o ácido ortosilícico estabilizado em hidrolisado de colágeno marinho. Ele desempenha um papel essencial na saúde humana, regulando o metabolismo de diversos tecidos, principalmente do conjuntivo. Possui estrutura original patenteada pela Exsymol, Mônaco, sendo altamente biodisponível para reposição de silício em seres humanos. É um dos principais fatores para produção endógena de colágeno pelos fibroblastos. Suas principais ações são: melhora do aspecto cutâneo, efeito lifting e antiaging, hidratação profunda, firmeza e sustentação, ação redensificadora e preenchedora das rugas, cicatrização.
  • Bio Arct: é uma biomassa marinha originária de uma alga vermelha encontrada no Mar Ártico, a Chondrus crispus. A Exsymol, por meio de um método exclusivo, submete a alga a condições extremamente estressantes, como frio intenso e pouca luminosidade. Após esse processo, um método especial e patenteado de extração que garante a composição integral da alga e grandes quantidades de biomassa marinha padronizada. Bio-Arct contêm 7% de citrulil-arginina, um dipeptídeo ativo que regula a expressão de SIRT-3, promovendo aumento da produção de ATP. Suas principais ações são: anti-aging, estimulando das trocas de nutrientes, citoestimulante, antiestresse cutâneo com melhora na luminosidade da pele, bioenergizante, protetor cutâneo durante condições extremas (frio, calor, poluição, ar condicionado), detoxificante, cicatrizante, antioxidante e anti-inflamatório.
  • Fosfolipídeos do Caviar: consiste em uma associação de fosfolipídeos de origem marinha (principalmente fosfatidilcolina) e lipídeos neutros extraídos das ovas do arenque. É particularmente rico em ácidos graxos poli-insaturados (PUFA) ômega-3 (DHA e EPA) e contêm, naturalmente, vitamina E e astaxantina. Suas principais ações são: cicatrizante, antioxidante, anti-inflamatório, antiaging e melhora do aspecto cutâneo.
  • Glycoxil: é um peptidomimético baseado em carcinina, cujo nome químico é b-alanil-histamina e apresenta propriedades antiglicante, antiglicoxidante e desglicante. É altamente biodisponível por possuir maior estabilidade molecular, sendo 30 vezes mais resistentes à degradação enzimática (dipeptidades teciduais e séricas), resultando em um tempo de meia vida maior e consequentemente uma maior biodisponibilidade. Suas principais ações são: antiaging, antiglicação e deglicação de proteínas da derme, antioxidante.
  • Vitamina C: O ácido ascórbico ou vitamina C (C6H8O6ascorbato, quando na forma ionizada) é uma molécula usada na hidroxilação de várias outras em reações bioquímicas nas células. A sua principal função é a hidroxilação do colágeno, aproteína fibrilar que dá resistência aos ossosdentestendões e paredes dos vasos sanguíneos. Além disso, é um poderoso antioxidante, sendo usado para transformar os radicais livres de oxigênio em formas inertes.
  • Vitamina E: também conhecida como tocoferol, na verdade trata-se de um grupo de substâncias, com grande atividade anti-oxidante. Em 1968 a vitamina E foi reconhecida como um nutriente essencial para os seres humanos pela Food and Nutrition Board do National Research Council, dos EUA. O reconhecimento da vitamina E como um agente anti-radical das estruturas de proteção da membrana das células contra os efeitos destrutivos dos radicais livres causou um renovado interesse nesta. Além disso, estudos epidemiológicos e científicos sugerem que a vitamina E desempenha papel protetor em doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer, além de proteger a pele e renová-la.
  • Biotina: estudos científicos já relacionam a deficiência desta com a dermatite seborreica, alopécia, unhas e cabelos fracos, produção excessiva de sebo, dentre outras dermatoses. Sua falta ocasiona a deficiência da biotinidase, uma enzima dependende de biotina, uma enzima que produz carboxilases, importantes no metabolismo de gorduras, carboidratos e proteínas.
  • Betacaroteno: tem sido descobertas grandes propriedades para o betacaroteno nas pesquisas das quais é alvo. Sabe-se hoje que ele é um antioxidante (inibe radicais livres, prevenindo o envelhecimento), beneficia a visão noturna, aumenta a imunidade, dá elasticidade à pele, aumenta o brilho dos cabelos e o fortalecimento dasunhas, além de atuar no metabolismo de gorduras. O betacaroteno também é favorável na obtenção do bronzeamento da pele. Quando transformado em vitamina A em nosso organismo, auxília na formação de melanina, pigmento responsável por proteger a pele dos raios ultravioleta e conferir o bronzeamento.

Logicamente, são diversas as substâncias e os princípios ativos que podem ser considerados nutricosméticos, mas nossa intenção foi revisar algumas das mais utilizadas.

O mais interessante é que não precisamos mais ficar presos às tradicionais cápsulas para ingerir os nutrientes necessários, várias formulações disponíveis na farmácia de manipulação irão tornar esse momento de suplementação muito prazeroso, experimente-os na forma de gomas, balas, refrescos, shakes, chocolates, sopas, chás e até mesmo géis comestíveis, podendo ser livres de açúcar, corantes e gorduras hidrogenadas; as balas de colágeno; os ‘shakes’ que não só ajudam na beleza, mas também proporcionam saciedade e sem dúvida os refrescantes refrescos a base de chá verde.

Segundo a Revista ISTO É, edição 2215, abril / 2012, “as pílulas contendo nutrientes consagram-se como o mais novo fenômeno da beleza e são indicadas por médicos para atenuar rugas, melhorar o viço da pele, combater a celulite e fortalecer unhas e cabelos, entre outros efeitos.”

Como você percebe a partir de agora mais um item deve ser acrescentado na sua rotina de beleza. Converse com seu médico, nutricionista ou farmacêutico para uma adequada orientação!

Referências
1. Nutricosméticos e Aliméticos. InformAção Magistral, Edição V, ano 2012.
2. Nutricosméticos, Pílulas da Beleza. Site da farmácia Almaderma, http://www.almaderma.com.br/produtos_nutricosmetico_pilulas_beleza.php.
3. Rev. Saúde Pública, vol. 32, n. 2. São Paulo Apr. 1998.
4. 
Turk J. Pediatr. 1994. Oct-Dec; 36(4); 267-78.
5. Int J Vitam Nutr Res. 1977; 47(2); 107-18.
6. David L. Nelson, Michael M. Cox, “Lehninger Principles of Biochemistry”, 4ª edição, W. H. Freeman, 2005
7. β-Carotene BioChemika, purum, ≥97.0% (UV). Página visitada em 21 de Oct. de 2009.
8. Revista ISTO É, edição 2215, abril / 2012.

Cuidados para o cabelo: no inverno e sempre.

Neste período mais frio, costumamos tomar banhos mais quentes e a alta temperatura da água acaba retirando o óleo do couro cabeludo, que tem função de proteção natural e lubrificação dos fios (se não estiver em excesso). Com a retirada deste óleo natural, o cabelo pode ficar com um aspecto ressecado, quebradiço e com pontas duplas. Em alguns casos, o organismo entende que precisa repor essa ausência de oleosidade e, por isso, os cabelos podem ficar com aquele aspecto engordurado.

A água quente é um dos principais inimigos do cabelo no inverno. Desidrata os fios, aumenta a queda e provoca uma descamação do couro cabeludo que pode ser confundida com caspa. Por isso, evite água quente nos fios ao máximo, utilize sempre água morna.

Cabelos bonitos e saudáveis exigem cuidados especiais, tanto para evitar quedas como quebras. Fios que caem demais podem indicar um problema de saúde ou ser um sinal de que a tintura no cabeleireiro não está sendo aplicada da forma correta. Segundo a dermatologista Márcia Purceli e a cabeleireira Jô Nascimento, fios muito quebradiços são sinal de falta de proteína, enquanto problemas com ressecamento, aspereza e pontas duplas sinalizam pouca água.

Cerca de 80% do cabelo é formado por queratina, proteína que constitui outras estruturas do corpo, como as unhas e a pele. Sua função é deixar os fios mais fortes e saudáveis. Os outros 20% são feitos de lipídios (gorduras), água, sais minerais e mais alguns componentes. Eles servem para dar maleabilidade e maciez.

“Reconstruir” os fios, segundo as especialistas, é como recapear uma via asfaltada que apresenta rachaduras ou depressões após sofrer várias agressões no dia a dia, como sol, chuva, vento, cloro, mar, secador, chapinha, poluição e produtos químicos. Os cremes servem como um veículo de nutrientes, e a aplicação pode ser feita uma vez por semana, principalmente se os cabelos estiverem danificados.

Até mesmo lavar o cabelo é algo corriqueiro e muitas vezes automático, mas é preciso utilizar xampu e o condicionador ao fazer limpeza, pois são complementares. Segundo a dermatologista Márcia Purceli e a química Sueli Cagliari, os dois produtos separadamente não trazem tantos benefícios. Isso porque o xampu funciona como um detergente, que retira as impurezas dos fios, enquanto o condicionador fecha as escamas e dá maciez. Portanto, utilizar um ou outro separados não trará bons resultados, assim como utilizar os xampus e condicionador 2 em 1 também não são interessantes (pois exercem funções distintas ao mesmo tempo, o que diminui os resultados).

Em relação ao sal, existe um mito de que eles fazem mal. O que prejudica mesmo os cabelos é o sal do mar, ou mesmo o sal cloreto de sódio em excesso. São raros os xampus que não possuem nenhum tipo de sal em sua constituição e, em níveis que não ultrapassem o excesso, eles podem trazer benefícios a formulação.

Produtos e ativos
Hidratar os cabelos significa literalmente devolver água para os fios. Mas hoje, para tratar madeixas quebradas, é preciso muitas vezes também fazer tratamentos à base de vitaminas, proteínas ou aminoácidos. Isso porque, mais do que água, os cabelos precisam de “comida”, ou seja, de uma reconstrução.

A escolha de produtos deve levar em conta, além das características próprias do seu cabelo, seus hábitos, atividades e necessidades. Solicite orientações do farmacêutico e de seu médico. Em caso de problemas ou alterações anormais consulte um dermatologista e peça para formular um xampu e condicionador específico para o seu tipo de cabelo. Alguns dos mais utilizados e inovadores produtos capilares são:

– Xampu: funciona como um detergente, que retira as impurezas dos fios. Possui substâncias que se ligam temporariamente a água e as moléculas de sujeira, fazendo com que estas sejam levadas pela água durante o banho. Por possuirem essa função, eles abrem as escamas do cabelo.
– Condicionador: funciona como selador das escamas e dá maciez a fibra capilar, é o maior responsável por hidratar o cabelo pois possuem substâncias, como óleos, silicones e vitaminas, que tem maior afinidade pela medula e cortex capilar, assim como pelo bulbo.
– Gel: o gel nos cabelos dá efeito de brilho molhado e fixação por longos períodos. Não faz nenhum condicionamento ou hidratação, e pode causar caspa.
– Ceras e Pomadas: existem diferentes formulações com ceras, vaselinas, resinas ou silicone. Geralmente fixam, algumas hidratam e protegem os fios do calor. Se aplicadas em excesso, podem deixar os fios oleosos e criar caspa.
– Mousse: dá fixação, volume, maciez e hidratação. Se usado em excesso, pode deixar os cabelos oleosos e, se aplicado no couro, também pode dar caspa.
– Spray: são à base de resinas, alguns contêm proteção térmica e promovem fixação e controle dos fios. Não dão condicionamento ou hidratação e, se não forem removidos corretamente, podem quebrar os cabelos.

Compostos do xampu e do condicionador

– A água é um veículo básico em que os elementos são misturados
– Os detergentes limpam os fios e abrem as escamas
– Os amaciantes garantem a proteção do cabelo, o fechamento das escamas e a diminuição do volume dos fios
– Os espessantes deixam o produto mais viscoso
– Os perfumes dão a fragrância desejada.
Ativos e formulações para o cabelo
Confira alguns dos princípios ativos e formulações farmacêuticas mais utilizados para resgatar a saúde capilar.

– Óleo de argan: é um poderoso hidratante, originário do Marrocos e rico em vitamina E e ácidos graxos insaturados, que nutrem os fios e o couro cabeludo. Pode ser usado sozinho como finalizador, em condicionadores, tratamentos e tinturas.
– Extrato de Aloe vera: também conhecida como babosa, possui diversas funções medicinais, tem propriedade antibacteriana, cicatrizante e é muito utilizada em queimaduras por regenerar a pele. Ela reduz a oleosidade do cabelo, hidrata e repara os fios danificados.
– Manteiga de Karitê: extraída do fruto de karitê, é um excelente regenerador celular natural que previne o envelhecimento da pele e cabelo. Essa manteiga possui um poder de hidratante intenso e natural.
Extrato de Hamamélis: tem ação adstringente, vasoprotetora e antioleosidade. Utilizado há anos em preparações para oleosidade excessiva da pele e do couro cabeludo.
– Capsaicina: é o componente ativo das pimentas conhecidas internacionalmente como pimentas chili. Possui atividade vasodilatadora e aumenta a oxigenação dos tecidos, estimulando assim circulação do couro cabeludo e diminuindo a queda de cabelos.
– Minoxidil:  é um medicamento vasodilatador. Descobriu-se que o seu uso tinha como efeito secundário o crescimento de pêlos. Trata-se de um medicamento e seu uso deve ser indicado pelo médico.
– Piritionato de Zinco: um dos principais ativos utilizados no tratamento da caspa, trata-se de um agente antimicrobiano de amplo espectro, usado em todo o mundo em formulações para o tratamento da caspa e seborréia.
– Pil Food (uso oral):  é um complexo formado por vitaminas e aminoácidos que participam do desenvolvimento do cabelo, da estrutura da pele e das unhas.

Dicas de cuidados com o cabelo no inverno
– Hidratação: utilizar xampu e condicionador de boa qualidade e adequadas para seu tipo de cabelo e fazer hidratação é a melhor opção para manter os fios saudáveis no inverno. A hidratação deve ser repetida semanalmente.
– Oleosidade: é natural os cabelos ficarem mais oleosos no inverno. Por isso, opte por condicionadores e cremes mais leves e para desembaraçar os fios, use produtos sem enxágue. Prefira não aplicar sobre o couro cabeludo.
– Secador: o uso do secador deve ser feito corretamente, pois o ar quente nos fios provoca o enfraquecimento. Para que isso não ocorra, antes de secar o cabelo aplique um protetor térmico ou reparador de pontas para proteger os fios.
– Dormir com os cabelos molhados: não é recomendado pois além de ficar úmido, torna-se fraco e quebradiço. Evite também uso exagerado de chapéus, boinas, lenços e gorros, pois aumentam ainda mais a oleosidade do cabelo e podendo provocar o surgimento de fungos e bactérias no couro cabeludo.
– Massagem no couro cabeludo: ao lavar os cabelos, massageie o couro cabeludo. Assim, a circulação e oxigenação estarão ativas e ocorre o aceleramento no crescimento dos fios.

Referências
Cuidados para o Cabelo e a Pele. Revista Saúde em Ação. Edição II, 2011.
– Disfunções hormonais e perda de peso influenciam queda de cabelo. Acessado em http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/04/disfuncoes-hormonais-e-perda-de-peso-influenciam-queda-de-cabelo.html.
– Farmacopeia Brasileira, 5ª edição, volume 2. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2010.
–  Ativos Dermatológicos, volume 5. Valeria Maria de Souza et al. Pharmabooks Editora, 2011.

Como acabar com as olheiras?

“Como acabar com as minhas olheiras?”, sem dúvida alguma essa deve ter sido uma das perguntas que todos já se fizeram. Um dos grandes problemas ao combatê-las é que, como grande parte dos problemas de estética ou saúde, ele pode possuir diversas causas e origens, e compreendê-las é um fator crucial para eliminá-las. Detestadas tanto pelos homens como pelas mulheres, elas são atreladas inconscientemente a estados de depressão, doença e cansaço, e são facilmente notadas – o difícil, muitas vezes, será disfarçá-las ou acabar com elas.

Por isso, vamos tentar acabar com algumas das suas dúvidas a respeito desse tema, e apresentar algumas das possíveis soluções para esse problema. Existem sim alguns tratamentos e bons hábitos que podem auxiliar tanto no combate quanto na correção das olheiras, portanto, você não precisará recorrer ao velho truque dos óculos. Mas antes disso, vamos analisar as causas destas!

As causas das olheiras

Existem causas já bem conhecidas. Dentre as mais conhecidas, destacam-se:

  • Insônia ou excesso de sono
  • Hereditariedade
  • Exposição ao sol
  • Deficiências na microcirculação
  • Estresse e patologias da derme
  • Alergias, asma e eczema
  • Remédios
  • Má alimentação
  • Fadiga ou cansaço
  • Gravidez e menstruação
  • Idade

De uma maneira simples e fisiologicamente falando, as olheiras e bolsas ao redor dos olhos se formam principalmente devido a: problemas na integridade e estrutura da derme, decorrentes do desgaste das fibras de colágeno e elastina; envelhecimento cutâneo, devido ao estresse oxidativo e diminuição da elasticidade da pele, ocasionado principalmente pela falta de cuidados dermatológicos, ataque por radicais livres e excesso de sol; e acúmulo de pigmentos e formação de bolsas, decorrentes de uma microcirculação ineficaz.

Outro fato importante a ser considerado é que a pele ao redor dos olhos é muito delicada e fina. Enquanto no resto do corpo a pele pode atingir até 3 milímetros, nesta área a espessura é de 0,4 milímetros. E quando a pessoa não se alimenta bem, passa por estresse físico ou emocional, consome excessivamente álcool ou cigarros, ou não dorme direito à noite, os vasinhos sanguíneos da região se dilatam, podendo gerar as indesejadas olheiras.

Portanto, são diversas as causas, porém o mais importante é que você consiga identificar no que você possivelmente está falhando e tentar trabalhar neste ponto, sempre contando com a ajuda de seu dermatologista para poder tratá-las com sucesso. Você já identificou algum destes problemas no seu caso e na sua rotina?

E então, como acabar com elas?

Dentre as maneiras de acabar com as indesejadas olheiras, já existem diversos hábitos, receitas caseiras, cosméticos e tratamentos conhecidos, mas resolvemos elencar alguns dos que parecem ser mais promissores, tanto a longo quanto curto prazo. Contudo, para combatê-las e tratá-las de fato, reforçamos que você deverá procurar um dermatologista de sua confiança, pois ele é o profissional de saúde indicado para averiguar as características e necessidades da sua pele!

Receitas caseiras: Embora sejam práticas, as receitas caseiras para amenizar olheiras e bolsas tem o grande problema de funcionarem no modo “para inglês ver”, ou seja, exercem efeitos temporários e sutis. De qualquer modo, elas podem ser úteis e práticas, sendo elas: compressas algodão embebido em com chá de camomila gelado, rodelas de pepino ou batata, compressa ou máscaras de gelo, ou simplesmente lavar a região dos olhos com água gelada ou leite.

E porquê? As baixas temperaturas ajudam a reduzir o estresse cutâneo e a tensão acumulada na região periocular. Em geral, aplicações de 10 minutos são suficientes para apresentar bons resultados. Esses procedimentos ajudam a amenizar as olheiras e evitar sua formação. Além disso, (pepino e camomila). Já o leite (…).

Melhorar a alimentação: alimentar-se saudavelmente não é importante somente para a saúde dos seus olhos, mas para a sua saúde em geral! Se você consome uma boa variedade de frutas e vegetais, ricos em caroteno, você com certeza estará ajudando-os. Sim, cenouras, espinafre, mamão papaia e manga podem, por exemplo, ajudá-los a serem mais saudáveis.

Descansar: dormir e descansar de verdade é um dos mais clássicos tratamentos para as olheiras e sinais perioculares. Por quê? Porque quando se descansa, sua circulação será incentivada (inclusive na região periocular e dos seus olhos), hormônios e substâncias específicos que são somente liberados durante o sono auxiliam neste processo. Acredita-se que dormir com a cabeça levemente elevada auxiliará na circulação de fluídos que podem se acumular na região ocular.

Cosméticos: existem diversos produtos que prometem acabar com elas no mercado, e com o grande avanço científico atual, cada vez mais ativos dermatológicos são produzidos e mais produtos são elaborados. É importante frisar que eles são produtos tratamento auxiliar e estético e, em alguns casos mais severos, será necessário contar com tratamentos dermatológicos, como o de terapia de luz intensa pulsada (com a indicação de um dermatologista).

Como as olheiras e bolsas perioculares possuem diferentes causas, os cosméticos e ativos utilizados para tratá-las também são diversos. Contudo, elencamos alguns deles. Em meio a esta infinidade de opções, a grande maioria dos ativos encontrados nos cosméticos anti-olheiras e bolsas perioculares destina principalmente a:

  • diminuir a pigmentação da região periocular: uma das características que torna as olheiras mais evidentes é a pigmentação exagerada e, portanto, ativos despigmentantes geralmente são encontrados neste tipo de cosméticos. Os mais recorrentes são o ácido kójico, ácido fítico, adenin, arbutin, dmae, hidroquinonas e derivados da vitamina C;
  • melhorar a micro-circulação local: visando promover melhor hidratação, nutrientes e oxigênio para as células e tecidos da região, o que também promoverá regeneração dos fluídos da região periocular, é comum encontrar nestes cosméticos extratos de arroz, café (ou mesmo cafeína purificada), centela, gingko biloba e soja;
  • combater rugas e promover o rejuvenescimento celular: existem diversas maneiras de fazê-los, como modificar o metabolismo celular, inativar enzimas que desgastam as células, modular a tensão da derme, dentre outras possibilidades. Os ativos mais recorrentes nos cosméticos anti-olheiras são: adenin, dmae, pool de vitaminas A, C, D e E, Happybelle, idebenona, lipossomas de coenzima q10, dentre outros;
  • incentivar a produção ou inibir o desgaste do colágeno e da elastina: dentre os ativos mais conhecidos e empregados com estas funções, destacam-se: biodynes, dmso, Mdi complex e silício orgânico;
  • combater os radicais livres: os chamados agentes anti-oxidantes ou inibidores de radicais livres ganharam muita atenção e são foco de numerosas pesquisas cosméticas. O extrato de chá-verde, por exemplo, é muito utilizado com esta finalidade por ser rico em bioflavonóides que tem esta função, assim como o Exsynutriment e as vitaminas C e E.
  • promover a hidratação da pele e a proteção solar: um dos principais cuidados, mas muitas vezes esquecido, a hidratação da pele é fundamental na manutenção de uma pele saudável. Em geral, extratos de plantas e óleos promovem-na, mas ativos de hidratação profunda, como o Aquaporine, também ganham destaque. Filtros solares físicos ou químicos também podem ser adicionados, ou ainda, utilizados separadamente. Ativos que diminuem os efeitos nocivos da radiação ultra-violeta, como o ácido ferulíco, também são encontrados.
Como visto, existem inúmeras opções cosméticas para o tratamento de olheiras, e os preços também variam na mesma proporção. O importante é avaliar a qualidade do cosmético que você selecionará é adequado ás suas necessidades e características, se seu fornecedor é de qualidade e se a relação custo-benefício será benéfica para você. Sempre avalie que ativos o cosmético possui e procure se informar sobre a validade e eficácia dos mesmos.

Mas atenção! Salientamos que todo e qualquer tipo de diagnóstico e tratamento dermatológico deve ser acompanhado por um dermatologista. Nem sempre todos e quaisquer tipos de sinais e bolsas perioculares tratam-se de olheiras. Não se esqueça, seu dermatologista é o profissional de saúde indicado para averiguar qualquer tipo de inconformidade e tratamento para sua pele, e com certeza ele irá propôr um tratamento adequado para você. Consulte-o!

Tem dúvidas? Já experimentou alguma das técnicas ou cosméticos para combatê-las? Compartilhe sua opinião e experi/ência conosco! Ficaremos felizes em ajudá-lo.

Referências
– Olheiras – Como tirar e tratamentos. Acessado em barmetrossexual.com.br, no dia 04 de abril de 2012, ás 17 horas.
– Ways to Remove Dark Circles Under the Eyes. Acessado em http://www.dailyskincareessentials.com/2009/09/remove-dark-circles-under-the-eyes/, no dia 10 de abril de 2012, ás 16 horas.
– Além do cansaço, álcool, cigarro e genética são causas de olheiras. Acesssado em   http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/05/alem-do-cansaco-alcool-cigarro-e-genetica-sao-causas-de-olheiras.html, no dia 02 de abril de 2012, ás 14 horas.
Livre-se dos tipos mais comuns de olheira. Acessado no dia 10 de abril de 2012, ás 10 horas, em http://mdemulher.abril.com.br/beleza/reportagem/tratamentos/dicas-se-livrar-tipos-mais-comuns-olheira-681036.shtml.

Os inúmeros benefícios do Óleo de Argan

O óleo de argan, também conhecido como óleo de marrocos, é produzido a partir da árvore argan, típica da região que dá o outro nome. Seu óleo é valorizado por sua ação nutritiva, tratando-se de um produto natural resultante da extração por prensagem das amêndoas e dos frutos secos desta árvore.

Rico em ácido linoléico, ácido oléico, ácido fenólico, ácido linólíco, ômega-9, ômega-6, vitamina E (tocoferol), polifenóis, carotenos, esqualeno e demais ácidos graxos essenciais, ele possui poderosa ação antioxidante e, dependendo do método de extração, é mais resistente à oxidação do que o óleo de oliva. O óleo de Argan também revelou-se particularmente interessante na regulação do colesterol pelo teor de ácido oléico. Estudos demonstraram que 2 colheres de sopa de óleo de Argan diariamente por um mês pode reduzir significativamente os níveis de colesterol no sangue.

Por ser rico em tocoferóis e vitamina E em especial, ele é um poderoso antioxidante que captura os radicais livres e neutraliza a oxidação destrutiva celular. Graças ao seu alto teor desta vitamina, ele hidrata profundamente a pele eos cabelos, atuando contra o ressecamento e envelhecimento. O óleo de Argan regenera a pele e combate o envelhecimento durante o repouso noturno.

Ideal para massagem, tratamento da pele e capilar!

Devido a sua rica constituição, quando adicionado a xampús, condicionadores e outros produtos para tratamento capilar, ele promove nutrição e revitaliza o couro cabeludo, além de fortalecer, dar brilho e suavidade aos cabelos, promovendo o selamento das cutículas capilares.

O óleo de argan evita o ressecamento durante e após tingimentos, além de diminuir a agressão causada por tratamentos químicos, tratando-se de um poderoso hidratante e excepcional finalizador de penteados. Relata-se que ele combate as pontas duplas e o frizz.

Além de toda esta ação capilar, o óleo de Argan também é recomendado para o tratamento das unhas quebradiças, pois as nutre e protege contra agressões externas, fortalecendo-as ainda mais. Diversos esmaltes e produtos que visam tratar esta condição já contam com este óleo em sua composição.

E lembre-se: somente na farmácia de manipulação você tem a possibilidade de desenvolver diversos produtos farmacêutico especificamente para suas necessidades e características, únicas e singulares como você.

Referências:
– Influence of Origin and Extraction Method on Argan Oil Physico-Chemical Characteristics and Composition. J. Agric. Food Chem., 2005, 53 (6), pp 2081–2087. DOI: 10.1021/jf040290t. Publication Date (Web): February 17, 2005.
– Argan oil: Occurrence, composition and impact on human health. European Journal of Lipid Science and Technology. Volume 110, Issue 7, pages 632–636, No. 7 July 2008.
Benefícios do óleo de argan para cabelos cacheados. Revista M de Mulher, editora Abril. Acessado em 08 de abril de 2012, em: http://mdemulher.abril.com.br/cabelos/reportagem/hidratacao/beneficios-oleo-argan-cabelos-cacheados-677744.shtml.
– O poder do Óleo de Argan. Revista Tempo de Mulher. Acessado em 08 de abril de 2012, em: http://estilo.br.msn.com/tempodemulher/beleza-e-saude/o-poder-do-%C3%B3leo-de-argan.